A PSP anunciou esta quinta-feira a detenção de três pessoas, no Porto, no âmbito da Operação Fénix, uma investigação relacionada com atividades ilícitas de empresas de segurança privada em estabelecimentos de diversão noturna.

Segundo uma nota da direção nacional da PSP, os três detidos, com idades entre os 29 e os 41 anos, estão indiciados pelos crimes de associação criminosa, extorsão, coação e segurança privada ilegal.

As detenções resultaram do cumprimento de quatro mandados de busca e três mandados de detenção realizados, na quarta-feira e hoje de manhã, no Grande Porto, pela divisão de investigação criminal do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, adianta a Polícia de Segurança Pública.

A PSP refere também que a iniciativa decorreu da investigação ao abrigo da Operação Fénix, dirigida pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

Os três detidos vão ser presentes, na sexta-feira, a tribunal.

A operação contou com o apoio da divisão de investigação criminal da PSP do Porto, da Unidade Especial de Policia e da Guarda Nacional Republicana.

No âmbito da Operação Fénix 15 pessoas foram detidas em julho, 13 das quais ficaram, na altura, em prisão preventiva.

Na Operação Fénix estão em causas crimes de associação criminosa, exercício ilícito da atividade de segurança privada, detenção de arma proibida, extorsão agravada, de coação, ofensas à integridade física qualificada e favorecimento pessoal.

Na altura, as instalações do FC Porto e a residência do vice-presidente do clube Antero Henrique foram alvo de buscas devido às suas ligações com uma empresa de segurança que presta serviços no FC Porto.