O Tribunal de Instrução Criminal de Coimbra decretou esta sexta-feira à noite prisão preventiva para três dos quatro suspeitos de homicídio de um casal da Lousã e de roubo agravado, informou a Polícia Judiciária (PJ).

Os dois homens suspeitos e uma das mulheres vão ficar em prisão preventiva e a outra mulher detida fica sujeita a apresentações «três vezes por semana» à autoridade policial, disse à agência Lusa fonte da PJ.

A Polícia Judiciária anunciou hoje de manhã a detenção de dois homens e duas mulheres, com idades entre os 22 e os 32 anos, suspeitos do homicídio de um casal da Lousã.

O homem, um ourives de 56 anos, e a mulher, de 55, foram encontrados mortos por militares do destacamento da GNR da Lousã, a 25 de junho.

Os suspeitos foram detidos pela PJ na quarta-feira, tendo sido apreendido «parte do produto do roubo», como «objetos em ouro», «dinheiro roubado» e a viatura das vítimas, e «bens adquiridos com o roubo, especialmente viaturas automóveis», referiu fonte da PJ.

Segundo a mesma fonte, os quatro suspeitos são «residentes no concelho da Lousã» e, apesar de não «terem uma relação familiar ou de amizade» com o casal, «conheciam-nos».

Dois dos quatro suspeitos têm antecedentes criminais, nomeadamente tráfico e furto.

De acordo com a investigação realizada, a Polícia Judiciária considerou que todos os crimes foram «praticados em coautoria», tendo havido «um planeamento do roubo».