Os estilistas Miguel Vieira e Carlos Gil apresentam este sábado, no segundo dia da 46.ª edição da ModaLisboa, no Pátio da Galé, as suas propostas para o próximo inverno, com coleções marcadas pela liberdade e pelo ecletismo, respetivamente.

Acreditando que “todo o homem busca a liberdade, a verdadeira liberdade”, o designer Miguel Vieira apresenta coordenados femininos e masculinos inspirados pela cor, “fonte vital de novas ideias, estilos e criações”, segundo a descrição do próprio.

Antes, é a vez do estilista Carlos Gil mostrar as propostas para o próximo outono/inverno.

O criador aposta na figura da ‘mulher eclética’: “Sem preconceito, o eclético mistura, recolhe, aprecia e combina, do mesmo modo que nesta coleção se fundem padrões, cores, texturas e estilos para dar origem a um novo olhar sobre a elegância”, refere.

Os desfiles iniciam-se às 15:00 com as propostas de Olga Noronha (da plataforma LAB, para novos talentos), no BPI, na Praça do Município.

Seguem-se as coleções de Ricardo Andrez, Rose Palhares (também da LAB), Pedro Pedro e Alexandra Moura.

Os desfiles são apenas acessíveis por convite, mas há atividades abertas ao público em geral, todas de entrada livre.

Uma delas é o Wonder Room, uma ‘pop-up store’ (loja temporária) com cerca de 30 marcas nacionais, que tem as portas abertas na Praça do Município entre as 12:30 e as 21:30.

Já na Sala do Risco, no Pátio da Galé, é possível acompanhar-se por imagens os três dias de desfiles através das lentes dos fotógrafos Arlindo Camacho, Nian Canard e da dupla Miguel Domingos e Raul Chan Caldeira. A mostra “Workstation” irá sendo construída ao longo dos três dias.

Nos Paços do Concelho está patente outra exposição, “Gineceu Androceu”, concebida por João Telmo. Ao todo são 20 fotografias, nas quais se “explora o conceito de inversão de género, em que a feminilidade não pertence só às mulheres e a masculinidade não pertence só aos homens”.

Esta edição da ModaLisboa, que faz agora 25 anos, decorre até domingo sob o tema “Kiss”.