A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem após uma investigação levada a cabo por suspeita de crimes de sequestro, posse de arma proibida, violação e ofensa à integridade física.

A investigação - levada a cabo pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) - iniciou-se a partir da denúncia do sequestro da vítima, com quem o arguido, de 33 anos, mantinha uma "relação íntima, durante a qual manteve sobre aquela uma permanente pressão física e psicológica", explicou a PJ em comunicado.

O comportamento do agressor perante a vítima "condicionava a totalidade da (sua) ação e discernimento", pelo que esta se encontrava com o arguido por forma a evitar o agravamento e a concretização das ameaças.

Nestes encontros, a PJ registou episódios de violação e ofensa à integridade física da vítima.

O comportamento do arguido já tinha levado a que a vítima e os seus familiares tivessem de contactar as autoridades por diversas vezes.

A detenção ocorreu na sequência do cumprimento de um mandado de busca à residência do arguido, que vai ser submetido a primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coação.