O homem suspeito de ter baleado outro na cabeça na aldeia de Rio de Moinhos, no concelho de Aljustrel, está indiciado do crime de homicídio tentado e aguarda julgamento em prisão preventiva, disse hoje fonte policial.

O suspeito, de 38 anos, foi hoje submetido a interrogatório judicial no Tribunal de Ourique, no distrito de Beja, no Alentejo, que lhe decretou prisão preventiva, a medida de coação mais grave, disse à agência Lusa fonte da Diretoria do Sul da Polícia Judiciária (PJ).

Segundo a fonte da PJ, o suspeito está indiciado pela prática do crime de homicídio tentado e fica a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Beja.

O homem é suspeito de ter baleado a vítima, de 30 anos, ao início da manhã do passado domingo de Páscoa, na aldeia de Rio de Moinhos, no distrito de Beja, tendo o alerta às autoridades sido dado às 07:20.

A vítima ficou gravemente ferida e foi transportada para o Hospital de S. José, em Lisboa, num helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Na sequência de diligências da GNR e da PJ, o suspeito "foi localizado na sua casa e ao ser abordado entregou-se voluntariamente" às autoridades, ao início da tarde de domingo, disse à Lusa a fonte da GNR, que excluiu que o homem tivesse estado barricado.

O homem "nunca disse que não queria sair" e "quando foi abordado pelas autoridades, entregou-se", referiu a fonte da guarda, indicando que o detido foi conduzido para o Posto de Aljustrel da GNR.

No domingo à noite, a vítima foi transferida para o Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, onde entrou por volta das 23:30, e está internado no Serviço de Cirurgia em situação "estável", disse hoje à Lusa fonte da unidade hospitalar, referindo que o homem deverá ter alta na terça-feira.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja, as operações de socorro mobilizaram 14 operacionais e quatro veículos dos bombeiros de Aljustrel e da GNR e a viatura médica de emergência e reanimação (VMER) de Beja, além do helicóptero do INEM.