O Tribunal Judicial de Braga condenou esta quinta-feira a três anos e oito meses de prisão, com pena suspensa, um homem que atingiu outro a tiro em Tabuaças, Vieira do Minho, por suspeitar que andava a assediar a sua mulher.

O homem baleado, também arguido no mesmo processo, foi condenado a nove meses de prisão, igualmente com pena suspensa, por dois crimes de ameaça.

Os factos remontam à noite de 15 de Maio de 2013, quando um homem foi a casa de outro para “ajustar contas” pelo alegado assédio que ele andaria a fazer à sua mulher.

Efetuou três disparos em direção à vítima, atingindo-a “em zonas vitais”, nomeadamente no tórax e no abdómen.

A vítima teve de ser submetida a uma intervenção cirúrgica e ficou 44 dias sem poder exercer a sua atividade profissional de operador de grua.

O autor do disparo foi condenado por homicídio simples, na forma tentada, tendo ainda de pagar uma indemnização de quase 10 mil euros à vítima.

A vítima, por seu lado, foi condenada por dois crimes de ameaças, cometidos sobre o homem que o baleou e sobre a mulher deste.

No dia dos factos, a vítima terá efetuado dois disparos “de intimidação, para o ar”, tendo o tribunal dado como provado que o seu objetivo era, apenas, convencer o agressor a ir embora.

Este foi um momento muito infeliz nas vossas vidas, não é a tiros de caçadeiras que se resolve qualquer conflito”, advertiu a juíza presidente do coletivo.

Mesmo assim, o tribunal decidiu suspender as penas de prisão aplicadas, tendo em conta que os arguidos não têm antecedentes criminais e estão integrados familiar, social e profissionalmente.