Cinco portugueses, de um grupo inicial de oito, estão detidos, acusados da morte de um funcionário de um posto de abastecimento de combustíveis em Osasco, um subúrbio de S.Paulo.

O crime ocorreu na madrugada de terça-feira, cerca das 5:30 locais - 9:30 em Lisboa - numa gasolineira situada na avenida Autonomistas. A vítima, segundo a imprensa brasileira, é um funcionário com 62 anos, de seu nome Agenor Corrêa, que foi esfaqueado nas costas, caiu no chão e terá ainda sido atropelado pelos agressores. Tentativas de reanimação feitas pelos colegas terão sido em vão.

À TVI, a Secretaria de Estado das Comunidades confirmou a detenção dos cinco cidadãos portugueses, apanhados pela polícia  brasileira na cidade vizinha de Carapicuíba, acrescentando estar a seguir o caso através das instâncias diplomáticas.

Álcool e violência

A imprensa e televisões brasileiras têm noticiado o caso, adiantando que uma rixa terá sido provocada pelos indivíduos alcoolizados na loja de conveniência do posto de combustível, onde oito portugueses chegaram cerca das 22:30 locais.

Terão bebido cerveja e vodca, em quantidades excessivas. Três dos homens terão abandonado o local. Os cinco que ficaram terão provocado uma briga com os funcionários da gasolineira, que culminou com o assassínio de Agenor Corrêa, que há vários anos ali trabalhava.

Imagens do circuito interno de televisão, divulgadas por canais de televisão brasileiros, mostram o início da briga, que terá começado quando os portugueses, aparentemente embriagados, tentaram mexer numa mochila que o funcionário tinha debaixo do balcão, segundo refere o canal SBT.

No meio da briga, segundo mostram as imagens do circuito interno de televisão, o funcionário assassinado refugiou-se dentro da loja, mas voltou a sair para rua para ajudar um colega. Foi agarrado pelas costas e aparentemente apunhalado por duas vezes, por um outro português.

Com o gasolineiro caído no chão, os cinco portugueses entraram no seu carro e fizeram-se à estrada. Mas antes, ainda atropelaram o gasolineiro esfaqueado e um colega que o tentava puxar.

A gente vai parar o carro e a gente pisou o cara. Foi verdade. Quem mandou o cara colocar à frente", são as palavras de um dos cinco portugueses - captadas pelo programa televisivo "Brasil Urgente", da Rede Bandeirantes - que fala aparentemente embriagado e num Português com expressões usuais no Brasil.

Homicídio qualificado

Os cinco portugueses fugiram no carro até serem detidos na cidade vizinha de Carapicuíba pela polícia.

Nós fizemos a abordagem a esse veículo, A principio eles resistiram a essa abordagem. Eles empreenderam a fuga, aumentaram a velocidade do carro. A gente percebeu que o para-brisas dianteiro do carro estava quebrado, devido ao atropelamento e com marcas de sangue também na frente do veículo, no para-choques", relatou a agente da Polícia Militar brasileira, Marjorie Ferreira, ouvida pelo canal de televisão SBT.

De acordo com a imprensa brasileira, os cinco portugueses, dois de 30 anos, um de 24, um de 26 e um de 59, irão responder pelo crime de homicídio qualificado.