“Em todas as ocorrências veio a verificar-se que se tratava de meningite vírica, razão pela qual não se procedeu, tal como está previsto, à notificação das pessoas que estiveram em contacto com as crianças infetadas”, esclarece a autarquia.

“Os casos registados não representam perigo, pelo que não há quaisquer razões para alarme”, acrescenta.

A Câmara de Esposende garante que está a acompanhar a situação, em articulação com o Agrupamento de Escolas do concelho e com o  Agrupamento de Centros de Saúde do Cávado (ACES Cávado).