Sete em cada dez crianças portuguesas consomem pouca fruta, ficando abaixo das três porções diárias recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), revelam dados da Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI).

Os dados da APCOI abrangem uma amostra de 18 mil crianças em idade escolar, entre os dois e os 12 anos.

É nos Açores que está a maior percentagem de crianças com consumo de fruta abaixo das recomendações (83,6%), seguindo-se a Madeira (79,9%), o Alentejo (77,4%), o Centro e Norte, ambos com 74,2%, e o Algarve, com 73,6%.

Lisboa e Vale do Tejo foi a região com menor percentagem de crianças que ingerem pouca fruta, ainda assim com um valor de 72,4%.

Em comunicado hoje divulgado, a Associação Contra a Obesidade Infantil recorda que o consumo de fruta abaixo das três porções provoca carências nutricionais com efeitos negativos: diminui os níveis de energia, de concentração e aprendizagem, reduz as defesas do organismo e torna as crianças mais suscetíveis à obesidade ou à diabetes.

Desde 2011 que a Associação tem uma iniciativa, em conjunto com escolas, que pretende combater a má nutrição.

O projeto “Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável” pretende ser um modelo pedagógico “chave na mão” que qualquer escola pode adotar de modo simples e gratuito, segundo os organizadores.

Depois de inscritas, as escolas podem ter acesso a materiais pedagógicos de forma gratuita. Durante 12 semanas, as crianças ganham diariamente "Estrelas" no "Quadro de Mérito" afixado na sala de aula, como recompensa pela ingestão de fruta. Nas semanas seguintes, a motivação é reforçada com uma competição nacional que utiliza a música como veículo para levar as lições do projeto até casa, para envolver os encarregados de educação.

Os resultados do estudo da APCOI mostram que uma em cada quatro crianças que integram o projeto aumentou o seu consumo diário de fruta em 12 semanas.

As inscrições das escolas para o atual ano letivo decorrem até dia 14 de outubro e o projeto pode aplicar-se em todos os jardins-de-infância e escolas de 1.º ciclo de todo o país.