logotipo tvi24

Sindicato vai vigiar situação de operários alojados miseravelmente na Covilhã

Representante da Construção quer evitar que trabalhadores percam emprego ou sejam prejudicados por denunciar a situação em que viviam

Por: Redacção / CM    |   2012-07-13 13:24

O presidente do Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro, compromete-se a acompanhar a situação dos cerca de 50 trabalhadores das obras do centro de dados da Portugal Telecom (PT), na Covilhã, que têm vivido
miseravelmente num armazém sem condições.

O dirigente defende que o dono da obra, a Portugal Telecom (PT), deve expulsar dos trabalhos de construção o subempreiteiro que alojou os operários num sítio sem água nem condições sanitárias.

No entanto, os trabalhadores devem continuar na obra e Albano Ribeiro garantiu que vai estar «vigilante», de modo a garantir que não perdem o emprego, nem sofrem qualquer prejuízo por terem denunciado a situação em que viviam.

Para prevenir situações futuras no setor, defende que «nenhuma empresa deve ganhar concursos públicos se não tiver, no mínimo, metade dos trabalhadores no quadro».

O dirigente sindical falava hoje numa conferência de imprensa em frente às obras de construção do centro de dados da PT, nos terrenos do antigo aeródromo da Covilhã, à entrada da cidade.

Albano Ribeiro reuniu com responsáveis do consórcio Somague/Opway, ao qual a PT entregou a obra, e elogiou a forma como têm disponibilizado espaço e meios com condições para realojar os trabalhadores.

O sindicalista disse estar «satisfeito» com a resposta da Somague, «um parceiro social» com que trabalham «há muitos anos» e com o qual, garante, nunca tiveram problemas.

De acordo com Luís Ferreira, responsável pelo consórcio Opway/Somague, «grande parte» dos operários já saíram do armazém sem condições, na zona industrial do Tortosendo, e os restantes «vão sair até ao final da semana».

O centro de dados da PT tem inauguração prevista até ao final do ano e será um dos maiores do mundo, funcionando como uma «caixa-forte» de dados informáticos de empresas a nível global.

Partilhar
FOTOGALERIA:
Covilhã: trabalhadores vivem em condições miseráveis

Covilhã: trabalhadores vivem em condições miseráveis (António José / LUSA) EM CIMA: Covilhã: trabalhadores vivem em condições miseráveis (António José / LUSA)

Polícia espanhola em Lisboa para ajudar turistas na Páscoa
Dois agentes vão patrulhar zonas da capital e de Casacais com maior afluência
Centro histórico de Viseu perdeu 30% dos residentes numa década
Alerta do presidente da Câmara
Ordem acha «inaceitável» atraso de medicamentos para hepatite C
Haverá cerca de 80 doentes graves à espera
EM MANCHETE
Cavaco exige que Governo diminua sacrifícios
Presidente da República diz que «é importante que os sinais de esperança se possam concretizar»
Submarinos explicam metade da poupança do Governo
Passos apanhado nas escutas a presidente do BES Investimento