Concessionários dos apoios de praia, bares e restaurantes da Costa da Caparica exigiram hoje uma intervenção urgente das entidades competentes na recuperação de infraestruturas e estabelecimentos destruídos pelo mar nas últimas semanas, e poderão adoptar outras medidas na quinta-feira.

«Decidimos reunir esta quarta-feira para falarmos a uma só voz, na esperança de que as entidades responsáveis nos oiçam. E amanhã (quinta-feira) vamos fazer nova reunião para decidirmos o que fazer», disse Patrícia Clington, lembrando que o mau tempo que se fez sentir a 6 de janeiro e no passado fim-de-semana provocou prejuízos avultados em bares e restaurantes da frente urbana da Caparica, concelho de Almada.

«Exigimos uma resposta urgente da CostaPólis, da APA (Agência Portuguesa do Ambiente) e da Câmara Municipal de Almada, porque o pontão da praia do norte está vedado por falta de segurança e há bares e restaurantes com prejuízos elevados que têm de ser ressarcidos», acrescentou.

Patrícia Clington falava à Lusa após uma reunião da Associação dos Apoios de Praia da Frente Urbana da Costa da Caparica (AAPFUCC), que representa um total de 22 associados, no restaurante Sentido do Mar, um dos mais afetados pelo mau tempo.

«Desde o passado dia 6 de janeiro que tentamos obter uma resposta positiva de alguma das três entidades - CostaPólis, APA e Câmara de Almada -, mas até agora só temos tido o apoio da autarquia, através dos serviços de Proteção Civil», disse, lembrando que os concessionários não só investiram no equipamento e recheio dos apoios de praia como pagam uma renda mensal à CostaPólis.

Segundo Patrícia Clington, os concessionários e proprietários de alguns estabelecimentos têm estado a suportar todos os prejuízos, mas sem apoios financeiros alguns deles poderão não ter condições para continuar a trabalhar e manter dezenas de postos de trabalho.

A reunião da AAPFUCC marcada para quinta-feira terá lugar pelas 16:30, na Tertúlia, junto à praia do CDS, na Costa da Caparica.