A Guarda Nacional Republicana (GNR) desmantelou um grupo de alegados contrabandistas de tabaco, tendo apreendido perto de 775 mil maços de cigarros, 362 mil euros em dinheiro e duas armas de fogo, foi divulgado esta quinta-feira.

A designada operação «Pacífico», levada a cabo pela Unidade de Ação Fiscal (UAF), conseguiu desmantelar «um grupo criminoso organizado que se dedicava à importação de tabaco de contrabando, através de portos marítimos nacionais, com o objetivo da introdução fraudulenta no consumo, à margem de qualquer tributação», segundo uma nota da GNR.

Durante a operação, foram identificados oito portugueses, com idades entre 42 e 62 anos de idade.

A investigação teve início já há vários meses, na sequência da deteção de vários ilícitos tributários e de diversas apreensões de tabaco, bem como de informações recolhidas no âmbito da atividade diária de controlo e fiscalização.

Esta investigação culminou com a realização, nas últimas horas, de 17 buscas domiciliárias e quatro não domiciliárias em diversas localidades dos distritos de Lisboa, Santarém e Bragança.

Na sequência dessas buscas, a GNR apreendeu 774.400 maços de tabaco (15.488.000 cigarros) de contrabando da marca «PACIFIC» com rotulagem em língua espanhola, sem qualquer estampilha fiscal.

Foram também apreendidos 362.000 euros, uma pistola e uma espingarda caçadeira, dois contentores de 40 pés, 176 termoventiladores, que serviam para dissimulação da mercadoria, quatro viaturas ligeiras de passageiros, 28 telemóveis e diversa documentação aduaneira e comercial relacionada com a importação de contentores através dos portos marítimos nacionais.

A GNR estima que o valor de toda a mercadoria apreendida ascende a 2.952.240 de euros, sendo o valor da prestação tributária em dívida estimado em 2.600.317,81 euros.