A água da rede pública na freguesia da Matriz, na cidade da Horta, Açores, está «imprópria para consumo humano», devido à presença de uma bactéria, revelou hoje a autoridade de Saúde.

Num comunicado, a delegada concelhia de Saúde, Paula Bettencourt, adverte que a água só poder ser bebida, sem que haja «perigo para a saúde do consumidor», após a fervura durante, pelo menos, 20 minutos.

«No entanto, a água da rede pública poderá ser utilizada para outros fins, nomeadamente para cozedura de alimentos, banhos, instalações sanitárias e lavagem de roupa», diz a delegada de Saúde, que recomenda, como alternativa, «água engarrafada» para beber.

O presidente da Câmara Municipal da Horta, João Fernando Castro, disse à Lusa que o alerta agora lançado resulta da presença de uma bactéria nas últimas análises à qualidade da água, efetuadas pelo município.

«Foi detetada a presença de uma bactéria na rede de abastecimento público de água e alertada a autoridade de Saúde», explicou o autarca, considerando que este caso «pontual» vem provar que o sistema de controlo da qualidade da água funciona.

João Castro esclareceu que «já estão a ser tomadas medidas» para debelar o problema, e que vão ser realizadas contra-análises para garantir que, o mais rapidamente possível, a água da rede pública possa estar em condições de ser ingerida.

A Matriz é a freguesia do centro da cidade da Horta, na ilha do Faial.