1. O doutor José Maria Ricciardi, que integrou durante longos anos vários órgãos sociais e de gestão do Banco Espírito Santo e do grupo familiar, solicitou à TVI no final de dezembro de 2014 o exercício de um direito de resposta e retificação, suscitado por comentários de Marcelo Rebelo de Sousa no seu espaço de opinião no Jornal das 8 de domingo.
 
A TVI recusou o pedido por três motivos: excesso de tempo de leitura em relação ao conteúdo que lhe tinha dado origem; uso de expressões desproporcionadas e ofensivas; argumentos e acusações sem qualquer relação com o comentário que lhe deu origem.
 
2. Por considerar legítimo que qualquer pessoa visada tem o direito de se defender, a Direção de Informação da TVI dirigiu várias vezes ao dr. Ricciardi o convite para conceder uma entrevista no seu jornal principal, sem qualquer limitação pré-determinada de tempo ou de outra natureza. O dr. Ricciardi recusou todos os convites.
 
3. Num estado de Direito democrático, a liberdade de expressão está protegida pelas Leis e pela Constituição da República e as decisões administrativas que atinjam direitos, liberdades e garantias constitucionalmente consagradas são judicialmente impugnáveis. É o que a TVI fará, por considerar que este direito de resposta não reúne os requisitos mínimos legais para a sua transmissão.