A Agência Europeia do Medicamento (EMA) anunciou, sexta-feira, ter reiniciado uma reavaliação do risco cardiovascular ligado à toma de doses importantes e repetidas de ibuprofeno, um dos anti-inflamatórios e analgésicos mais usados.

«O risco cardiovascular vai ser avaliado para uma dose importante de ibuprofeno (2.400 miligramas mg/dia) tomada regularmente durante longos períodos», refere um comunicado da EMA, citado pela Agência France Presse.

Todavia, a agência indica que «nada aponta» para a existência de risco no uso de ibuprofeno em doses baixas pela grande maioria dos pacientes.

As doses habituais de ibuprofeno são na ordem dos 200 aos 400 mg, três a quatro vezes por dia.

O ibuprofeno é um medicamento comercializado desde os anos 1960 sob diversos nomes comerciais, entre os quais Advil, Nurofen e Brufen (os dois últimos em Portugal).

Segundo a EMA, o ibuprofeno «tem um perfil de segurança bem conhecido», sujeito a avaliação, incluindo à do risco cardiovascular «há vários anos».

Segundo uma análise dos dados existentes, citados pela EMA, o risco de ibuprofeno tomado em dose elevada (2.400 mg/dia) será equivalente ao do analgésico diclofenac (comercializado em Portugal com o nome Voltaren) e cuja utilização é desde o ano passado restrita a doentes que sofram de insuficiência cardíaca ou que tenham antecedentes de enfartes ou acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Estes medicamentos fazem parte da família dos anti-inflamatórios não-esteróides (AINS), associados a um fraco aumento de risco de tromboembolismo arterial podendo, em certos casos, conduzir a enfarte cardíaco ou AVC, particularmente em caso de utilização em doses altas e por períodos prolongados.

O organismo acrescenta que o seu comité para a avaliação de riscos em matéria de fármaco-vigilância vai também avaliar a «interação entre o ibuprofeno e o uso de aspirina em doses baixas, utilizada para reduzir o risco de enfarte ou de AVC, e decidir se os conselhos dados atualmente aos profissionais de saúde são suficientes».

A Agência Europeia do Medicamento aconselha, no entanto, os pacientes a continuarem a tomar os medicamentos de acordo com as necessidades e sublinha que a reavaliação não abrange cremes e géis de ibuprofeno, mas apenas o medicamento tomado via oral.