Guimarães vai passar a ter ligação a Lisboa através do Alfa Pendular, a partir de 1 de maio, uma decisão da CP - Comboios de Portugal justificada pelo "aumento de passageiros", divulgou hoje aquela empresa de transporte ferroviário.

Num documento a que a Lusa teve acesso, a CP adianta que a nova ligação de longo curso entre o Minho e Lisboa, terá a duração de 3:50 horas e terá a periodicidade de um comboio por dia, em cada sentido, servindo uma população de cerca de 270 mil habitantes (dos concelhos de Guimarães, Santo Tirso e Trofa).

A câmara de Santo Tirso apontou que a passagem do Alfa Pendular por este concelho é uma "vitória importante", considerando que esta situação vai "melhorar a mobilidade da população" e "ter importantes impactos na economia local".

Santo Tirso passa a ter uma ligação a Lisboa mais rápida e direta, beneficiando o tecido empresarial sediado no concelho, nas suas deslocações de negócios. Para além das autoestradas que servem o Município, da proximidade ao aeroporto do Porto e ao porto de Leixões, Santo Tirso passa a ter uma ligação ferroviária direta a Lisboa", reagiu o presidente da câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto.

Para o autarca socialista, outra das mais-valias da passagem do Alfa Pendular por Santo Tirso, distrito do Porto, é o facto de beneficiar o setor do turismo, tornando-se "mais fácil", conforme apontou Couto, "vender um ‘pacote turístico' a concelhos do Norte do país quando se tem uma ligação direta a Lisboa".

Mas de acordo com Joaquim Couto, "a vontade política de transformar e melhorar os transportes na região não ficará pela medida anunciada pela CP", pois o autarca aponta que uma das ideias passa por melhorar o interface entre as estações de comboios e os transportes rodoviários que servem os municípios de Santo Tirso, Guimarães e Vila Nova de Famalicão.

Queremos que se imponha uma intermodalidade entre os diferentes operadores de transportes, de forma a servir melhor as populações", referiu, garantindo que "tem havido um diálogo regular com os outros dois concelhos para melhorar os transportes intermunicipais".

Já sobre o Alfa Pendular, também o presidente da câmara de Guimarães, Domingos Bragança, considerou que este é um "investimento público" que terá "retorno" e que vai "facilitar" a ligação entre "dois polos industriais, turísticos e culturais" como são Guimarães e Lisboa.

As duas capitais do país passam a estar ligadas, finalmente, por um transporte de velocidade elevada, moderno e com o máximo conforto num serviço de longo curso. As boas parcerias dão bons resultados. Trata-se de um investimento público que terá um retorno para o operador público muito positivo, com um incremento da qualidade e do serviço", referiu o presidente da câmara de Guimarães.