O Ministério Público (MP) deduziu acusação contra um homem de Montalegre pela prática de dois crimes de coação contra duas juízas e de três crimes de dano com violência com o objetivo de constranger a atividade das magistradas.

De acordo com a acusação do MP junto da Instância Local de Chaves, o arguido é suspeito de, em novembro de 2011 e julho de 2014, ter efetuado esperas às magistradas judiciais que, na altura, desempenhavam funções nas comarcas agregadas de Montalegre e Boticas.

O MP refere ainda que o homem terá, com o automóvel que conduzia, embatido propositadamente nos veículos que as magistradas conduziam, com “o propósito de as assustar e, assim, as constranger na sua vida diária”.


Nomeadamente, salienta a acusação, no “exercício da sua atividade funcional enquanto juízas de direito”, relata a Lusa.

Os factos terão ocorrido, em 2011, na rotunda da Corujeira, em Montalegre, e, já em 2014, na Estrada Nacional (EN) 103, que liga Montalegre a Boticas, na ponte sobre o rio Beça.

O indivíduo vai ser julgado por dois crimes de coação contra órgãos constitucionais e ainda pelos crimes de dano com violência e estragos em veículos automóveis de magistrados judiciais para constranger a atividade destes.