O plano de contingência da Câmara de Lisboa para proteger os sem-abrigo do frio será ativado na segunda-feira às 19:00, prevendo a abertura de locais de apoio e a distribuição de comida e agasalhos, anunciou hoje a autarquia.

Em declarações à agência Lusa, fonte oficial do município lisboeta informou que este plano “vai ser acionado amanhã [segunda-feira] a partir das 19:00]”.

No sábado, a autarquia já tinha admitido esta possibilidade, vincando que estava tudo pronto para que tal acontecesse, e remeteu a decisão para hoje após uma reunião de reavaliação.

A partir das 19:00 de segunda-feira, a Câmara de Lisboa vai abrir o Pavilhão Municipal Manuel Castelbranco, na zona dos Sapadores, freguesia de São Vicente, disponibilizando assim espaços de higiene, comida e agasalhos para os sem-abrigo.

Nos últimos anos, esta estrutura do plano de contingência costumava estar montada no Pavilhão Municipal Casal Vistoso.

Além deste apoio, as equipas de rua da cidade vão distribuir comida quente e agasalhos por equipas de rua.

As estações de metro de Rossio, Saldanha, Oriente e Intendente estarão abertas durante a noite, a partir de segunda-feira, para receber pessoas em situação de sem-abrigo, devido ao frio, informou a Câmara de Lisboa.

As equipas de rua estão já avisar os sem-abrigo sobre os locais onde se podem dirigir e os apoios que podem ter nos próximos dias, em que as temperaturas estarão mais baixas.

Acresce que, “durante a semana, os centros de acolhimento já estavam a abrir mais cedo”, ressalvou a fonte municipal, aludindo ao reforço das medidas de apoio às pessoas em situação de sem-abrigo previsto para quando as condições meteorológicas ainda não são suficientes para ativar o plano de contingência.

Este reforço tinha sido anunciado no início de janeiro pelo vereador dos Direitos Sociais, Ricardo Robles.

O plano de contingência da Câmara de Lisboa em relação ao frio é, normalmente, ativado quando se verificam temperaturas mínimas de três ou menos graus celsius por dois dias consecutivos, mas estes critérios podem ser alterados pela sensação térmica.

Também as alterações climáticas têm alterado estes requisitos, segundo a fonte oficial da autarquia, que apontou que o plano de contingência acaba por estar sempre disponível para ser ativado.

Também a  Câmara do Porto avalia na segunda-feira a possibilidade de acionar de imediato o plano de contingência para os sem-abrigo devido ao frio, que inclui o fornecimento de bebidas quentes e a abertura noturna de estações do metro.

Em resposta à Lusa, o gabinete de comunicação da autarquia afirmou hoje que “a Proteção Civil, os bombeiros e a Ação Social estarão em permanente avaliação das condições climatéricas e acionarão, logo que se justifique, o plano de contingência para os sem-abrigo”.

“Pelas previsões atuais, o plano será acionado amanhã (segunda-feira). No entanto, amanhã de manhã será feita nova avaliação”, acrescenta.

De acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), disponíveis no seu ‘site’, as temperaturas mínimas rondarão os cinco graus celsius na segunda-feira, passando para quatro na terça-feira e para três na quarta e quinta-feira.

Uma vasta região anticiclónica, localizada na região dos Açores e uma depressão sobre a Península Ibérica, vai continuar a dar origem ao transporte de uma massa de ar muito frio e seco sobre o território do continente ao longo da próxima semana”, justifica o IPMA, num comunicado colocado na sua página na internet.