O estado do tempo vai sofrer esta sexta-feira de manhã um agravamento com a passagem de uma superfície frontal fria que vai causar chuva e vento forte, queda de neve e agitação marítima, segundo a meteorologista Cristina Simões.

Esta situação meteorológica levou a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e a Direção Geral da Saúde a emitir conselhos à população.

“Estamos com um agravamento esta sexta-feira de manhã com a passagem de uma superfície frontal fria que traz alguma atividade. Temos períodos de chuva por vezes forte nas regiões do Norte e Centro, que vai passar gradualmente a regime de aguaceiros que poderão ser localmente fortes e possibilidade de trovoada”, explicou a meteorologista.

De acordo com a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a frequência da chuva vai diminuir ao longo da tarde, prevendo-se apenas a ocorrência de alguns aguaceiros.

“De salientar também a queda de neve a começar nos pontos mais altos da Serra da Estrela durante a manhã acima de 1.400 metros, descendo a quota para os 600/800 no Norte e Centro. Vamos ter também vento forte de sudoeste com rajadas de 70 quilómetros por hora, sendo de 90 nas terras altas, mas diminuindo de intensidade para a tarde”, salientou.

No que diz respeito às temperaturas, Cristina Simões disse que vão descer hoje e sábado entre 10 a 15 graus Celsius, devendo registar-se valores abaixo de zero nas terras altas do Norte e Centro na madrugada de sábado.

“As temperaturas não estão abaixo do valor normal para época. O que aconteceu é que estiveram elevadas e com esta descida nota-se mais o frio”, sublinhou.

Segundo o IPMA, hoje as mínimas no interior Norte vão ser de 2/3 graus, nas Penhas Douradas -2 e na região Sul entre 05 e 07.

“A temperatura máxima descerá igualmente, embora não tão acentuadamente e deverá ser inferior a 13 graus na generalidade do território e com valores inferiores a 6 graus no nordeste transmontano e na Beira Alta”, disse.

Cristina Simões adiantou também que está prevista agitação marítima forte, tendo sido emitido para hoje aviso amarelo e para sábado e domingo aviso laranja, prevendo-se ondas que podem ultrapassar os 06 metros em toda a costa portuguesa.

“No sábado continua o desagravamento, prevendo-se aguaceiros pouco frequentes e vento menos intenso. No domingo já não se prevê precipitação e vai continuar o tempo frio”, disse.

Face à situação prevista, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) recomendou à população que adote comportamentos preventivos em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis.

A ANPC aconselha a população a garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas, a adotar uma condução defensiva, a não atravessar zonas inundadas, a colocar correntes de neve nas viaturas, fixar estruturas soltas e ter cuidado na circulação em zonas arborizadas e junto à orla costeira e zonas ribeirinhas.

Na sequência do agravamento do estado do tempo, também a Direção-Geral da Saúde (DGS) recomendou à população que se proteja do frio e da chuva, mantendo o corpo quente com luvas, cachecol, gorro/chapéu, calçado e roupa quente, utilizando várias camadas de roupa.

A DGS aconselha também a hidratação através da ingestão de líquidos e sopas quentes e no exterior a ter cuidados com o piso, uso de sapatos confortáveis e a evitar quedas.

Madeira sob aviso de mau tempo

A Capitania do Porto do Funchal informou que o arquipélago da Madeira está sob avisos meteorológicos de mau tempo, vento forte e agitação marítima forte até às 06:00 de sábado.

Um dos avisos de mau tempo, de sinal 06, indica vento de força 07 (51 a 62 quilómetros/hora) de qualquer direção.

Devido a estes avisos recebidos do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Capitania recomenda aos proprietários ou armadores das embarcações a tomarem as devidas precauções para que estas permaneçam nos portos de abrigo.

Na orla marítima, o vento será de noroeste moderado (19 a 26 quilómetros/hora) a fresco (27 a 35 quilómetros/hora), aumentando gradualmente para fresco a muito fresco (36 a 44 quilómetros/hora) e por vezes muito forte (45 a 54 quilómetros/hora).

A visibilidade será boa a moderada, tornando-se temporariamente moderada a fraca entre o meio da manhã e o meio da tarde.

A ondulação na costa norte será de ondas de noroeste de 1,5 a 2,5 metros, aumentando gradualmente para três a 4,5 metros, e na costa sul de sudoeste, de um a 1,5 metros, aumentando gradualmente para 1,5 para 2,5 metros.

Sete ilhas dos Açores sob alerta

A Proteção Civil dos Açores alertou hoje para um aumento da agitação marítima nos grupos central e oriental do arquipélago, indicando que as sete ilhas vão estar sob aviso amarelo a partir desta madrugada.

De acordo com o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), que cita o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), uma corrente moderada de norte/noroeste deverá provocar um aumento da agitação marítima na Terceira, São Jorge, Pico, Graciosa e Faial (grupo central) e São Miguel e Santa Maria (grupo oriental).

Assim, as ilhas do grupo central vão estar sob aviso amarelo devido à agitação marítima, ondas de noroeste, entre as 00:00 locais (mais uma hora em Lisboa) e as 06:00 de sábado.

Para o grupo oriental, o aviso amarelo vai vigorar no período entre as 06:00 locais (mais uma hora em Lisboa) e as 18:00 de sábado.

O aviso amarelo, o segundo menos grave de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Face a estas previsões, a Proteção Civil açoriana recomenda que sejam tomadas medidas de autoproteção, nomeadamente o reforço das amarrações das embarcações ou a sua colocação em local seguro.

A Proteção Civil pede ainda especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas e desaconselha a prática de atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos ou passeios à beira mar.