O mau tempo que se tem feito sentir esta quarta-feira causou 79 inundações no distrito de Setúbal, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal.

Segundo a mesma fonte, os concelhos do Seixal, Almada, Barreiro e Sesimbra foram os mais afetados pela chuva.

«Até ao momento [ao fim da tarde] temos registo de 79 ocorrências. A chuva forte provocou várias inundações em habitações, garagens, estabelecimentos comerciais e estradas, mas sem registo de qualquer caso grave», disse.

O CDOS tem também registo da queda de uma árvore no concelho do Barreiro.

Estiveram envolvidos nas operações 84 veículos e 342 operacionais na resposta às várias ocorrências no distrito de Setúbal.

Também o Alentejo foi afetado pela forte chuvada de hoje à tarde, onde provocou mais de duas dezenas de inundações, algumas delas em edifícios onde funcionam serviços públicos, segundo fontes dos bombeiros.

No distrito de Évora, os concelhos mais afetados foram Borba, Estremoz, Vila Viçosa, Portel, Redondo e Évora, onde se registaram inundações em habitações e serviços públicos, indicou à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

No Hospital de Espírito Santo de Évora (HESE), segundo fonte do gabinete de comunicação, registaram-se «algumas ocorrências» devido ao temporal, mas «todas as situações foram resolvidas e todos os serviços estão a funcionar».

Contactado pela Lusa, o comandante dos Bombeiros de Évora, Rogério Santos, indicou que elementos da corporação procederam a limpezas na unidade de radioterapia do hospital.

Mais a sul, foram registadas inundações em Alvito (habitação), Vidigueira (conservatória) e em Beja (banco).

Os bombeiros foram também chamados para duas inundações em Portalegre e Avis, no norte alentejano.

As mesmas fontes referiram que algumas das inundações se deveram a algerozes entupidos. Segundo os bombeiros, não se registaram casos graves, apesar da chuva intensa.