A remodelação e otimização das unidades de tratamento de ar (UTA) e ventiladores do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) permitirá uma poupança de 300 mil euros por ano, informou a instituição.

O projeto de substituição das UTA por equipamentos mais evoluídos, que contou com um investimento de cerca de três milhões de euros cofinanciado a 70% por fundos comunitários, está em fase de conclusão, informou o CHUC, prevendo que a iniciativa permita gerar "poupanças anuais ao nível da energia num valor estimado em 300 mil euros por ano", acrescido da poupança em manutenção em 18 mil euros por ano.

À agência Lusa, o hospital sublinha que este é um projeto inovador na "produção de energia e de utilização racional de energia", permitindo aumentar a eficiência energética, reduzir o consumo de energia, melhorar a qualidade do ar interior e as condições de utilização dos espaços por parte dos utentes e profissionais.

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, visitou hoje as obras de substituição das UTA, que, de acordo com o CHUC, é "uma das maiores intervenções mecânicas, nesta área, realizadas no país".

A intervenção abrange "todo o edifício central do polo HUC [Hospital Universitário de Coimbra] do CHUC, com substituição da grande maioria das UTA e ventiladores existentes, bem como das condutas, tubagens, instalação elétrica e demais trabalhos de construção civil".

O CHUC estima que haja uma poupança global de energia na ordem dos 20% a 25%.

O projeto prevê a substituição de 55 UTA e 45 ventiladores de extração e a instalação de 20 mini-unidades de tratamento de ar.

O projeto abrange ainda a dotação de variadores de velocidade em todas as UTA e em ventiladores de extração, colocação de recuperadores de calor do ar extraído nas UTA e implementação de um sistema de controlo no ventilador da cozinha que se adapta às necessidades desse mesmo espaço.

As unidades de tratamento de ar vão abranger uma área de 120 mil metros quadrados, num projeto que envolve um sistema com seis quilómetros de tubagem de climatização, 20 toneladas de estruturas de suportes, 74 toneladas de equipamentos de climatização e ventilação e 8.400 metros quadros de chapa para redes de condutas.