Dezassete refugiados oriundos do Egito chegam, este domingo, a Portugal com o estatuto de refugiados reinstalados, no âmbito no número anual de reinstalação definido pelo Governo português, anunciou este domingo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Inicialmente previstos para chegarem no sábado integrados num grupo de 44, estes refugiados acabaram por ficar no Egito, devido a uma greve na Lufthansa que obrigou ao cancelamento do voo, tendo embarcado para Portugal apenas 22 deles.

Os 17 refugiados vêm divididos em dois grupos e chegam em momentos diferentes do dia.

O primeiro tem chegada prevista para as 15:30 e é constituído por duas famílias: uma família síria composta por seis pessoas, das quais quatro são crianças, e uma família eritreia, composta por quatro pessoas, das quais três crianças.

A família Síria ficará alojada em Penela, a cargo da Fundação Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional de Miranda do Corvo (FADFP MC), ao passo que a família eritreia ficará alojada em Lisboa, a cargo do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS).

O segundo grupo de refugiados chega às 19:15, sendo composto igualmente por duas famílias, ambas sírias, uma delas composta por quatro pessoas, das quais duas crianças, e a outra por três pessoas, das quais uma criança.

As duas famílias vão ficar alojadas em Lisboa, a cargo do JRS.

As sessões de receção e acolhimento vão decorrer no auditório Ícaro, no Aeroporto de Lisboa, com a presença de representantes do SEF, do Conselho Português para os Refugiados (CPR), da FADFP MC, do JRS d da Ministra da Cultura, Igualdade e Cidadania, Teresa Morais.