Uma ótica de Chaves foi assaltada esta madrugada, com os proprietários a queixarem-se de um prejuízo de «30 mil euros» em óculos de sol e de dificuldades em contactar a PSP porque o número de telefone mudou.

Contactada pela agência Lusa, fonte da PSP de Chaves referiu que o número fixo da polícia de Chaves foi alterado há uma semana mas adiantou que o número de emergência 112 não mudou e está em funcionamento.

Manuela Pimentel Aires disse à Lusa que a ótica de que é proprietária no centro da cidade de Chaves foi assaltada cerca das 5:30 e que, após o alarme tocar, a central de alarmes tentou ligar à PSP, mas o número «dava sempre ocupado».

Como tinha o telemóvel desligado, Manuela diz que só soube do assalto às 09:00, quando foi abrir a loja e que tentou também ligar ao fixo da polícia, mas que também lhe dava sempre sinal de ocupado.

«A operadora não deu qualquer informação de que o número foi alterado, nem fez reencaminhamento da chamada. Tivemos que nos deslocar diretamente à esquadra da polícia e foi aí que tomamos conhecimento de o número foi alterado», salientou.

A proprietária queixou-se da falta de informação relativamente à mudança de contacto e mostrou-se «muito preocupada» com esta situação.

A PSP de Chaves referiu que, com a mudança de número, foi solicitado à operadora que fosse transmitida uma mensagem de aviso a quem ligasse para o contacto antigo.

A fonte referiu que foi, entretanto, contactada a PT e que a empresa diz que essa situação está a ser resolvida.

No entanto, a polícia ressalvou que os contactos podem sempre ser feitos através do número de emergência 112, que está em funcionamento.

O número atualizado da polícia de Chaves é o 276309050. A PSP referiu ainda que a alteração foi divulgada através dos meios de comunicação social locais.

A fonte referiu que o assalto está a ser investigado por agentes da Esquadra de Investigação Criminal, tendo sido encontrados alguns indícios e estando a ser analisadas as imagens de videovigilâncias.

A PSP suspeita que o assalto foi efetuado por dois suspeitos.

Manuela Pimentel Aires referiu o assalto causou um prejuízo de «cerca de 30 mil euros» em óculos de sol de «gama alta».

«Levaram tudo o que puderam das melhores marcas», lamentou.