As autoridades de saúde montaram uma espécie de hospital de campanha no centro de saúde da Amadora, pronto para receber as vítimas da intoxicação alimentar. Até agora, quase 200 pessoas foram assistidas em vários hospitais de Lisboa, com  sintomas de intoxicação.
 
Os hospitais de lisboa estão a postos para receber 500 pessoas, o número das refeições contaminadas que foram servidas numa escola e em dois lares.
 
Depois de ser conhecido este número, as autoridades de saúde decidiram manter o centro de saúde da Amadora aberto e reforça-lo com ambulâncias e meios do INEM, de forma a poder dar resposta às solicitações.
 
Além da Escola Luís Madureira, em Alfragide, foram registadas vítimas no Lar de Santo António (localizado no mesmo complexo da escola) e no Centro de Apoio à Terceira Idade do Casal da Mira, na freguesia de Mina de Água. 

Mário Conde explicou que, segundo o delegado de saúde do município, as causas da intoxicação estarão relacionadas com “a distribuição de 550 refeições” de almoço por uma mesma empresa nestes três locais.