O Centro de Ciência do Café, em Campo Maior, foi hoje distinguido com o Prémio Museu Português 2015, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), anunciou a entidade, numa cerimónia em Lisboa.

De acordo com o palmarés hoje anunciado pela APOM, o Museu do Vinho, em São João da Pesqueira, distrito de Viseu, recebeu uma menção honrosa nesta categoria, que distingue o melhor museu português do ano.

A APOM, entidade dedicada à museologia, atribui os prémios anualmente, desde 1997, a museus, projetos, profissionais e atividades desenvolvidas no setor.

Os prémios são referentes ao ano anterior à atribuição, e são habitualmente anunciados em dezembro, mas este ano a cerimónia foi antecipada, devido ao aniversário dos 50 anos da APOM.

O Centro de Ciência do Café, distinguido pela APOM como o Prémio Museu Português, está instalado na Herdade das Argamassas, em Campo Maior, no distrito de Portalegre, e é um espaço criado pela empresa Delta, para explorar as temáticas ligadas ao café.

De acordo com o sítio na internet deste centro, o objetivo foi "ultrapassar a tradicional conceção de museu, transformando-o num conceito mais abrangente, que visa não só reforçar a oferta cultural, mas também aumentar a oferta turística e patrimonial da região onde se insere".

Os vencedores e menções honrosas, em 26 categorias, foram hoje anunciados durante a tarde, numa cerimónia realizada na Assembleia da República, em Lisboa, com a presença da direção da APOM - João Neto e Pedro Inácio-, Teresa Sanches, em representação da Presidência da Republica, Miranda Calha, vice-presidente do parlamento, e Nuno Vassalo e Silva, diretor-geral do Património Cultural.

No ano passado, o vencedor de Melhor Museu Português foi o Museu do Benfica, em Lisboa.

Os prémios são atribuídos pela APOM, fundada em 1965, para incentivar o espírito de preservação e divulgação do património dos museus, segundo a associação, distinguindo ainda, entre outros, a melhor intervenção e restauro, o melhor catálogo, mecenato e projeto museográfico.