Um movimento espontâneo criado nas redes sociais está a mobilizar a população de Viana do Castelo para uma festa de despedida ao Presidente da República cessante, Cavaco Silva, esta quarta-feira, às 21:30, em pleno centro da cidade.

Em declarações hoje à agência Lusa, o autor da página "Festa de despedida do casal Silva", Jorge Teixeira, sublinhou que o evento "é aberto a todas as pessoas, independentemente do seu quadrante político que queiram festejar a saída de Cavaco Silva da cena política portuguesa".

Vamos fazer juntos, uma grande festa, uma grande manifestação cultural e de cidadania num espaço nobre da cidade para celebrarmos esse acontecimento como libertador", explicou.

Fonte da Câmara Municipal de Viana do Castelo adiantou que o pedido de licenciamento do evento foi deferido. O evento está marcado para as 21:30, na Praça da República, ex-líbris da cidade.

Marcelo Rebelo de Sousa toma hoje posse como Presidente da República, o décimo nono chefe de Estado português desde a implantação da República, a 05 de outubro de 1910, e o quinto eleito em democracia.

Vermo-nos livres de um homem que tanto influenciou negativamente os destinos de um povo e de um país é motivo de sobra para festejarmos", lê-se na publicação na página criada na rede social Facebook, em janeiro passado, antes das eleições presidenciais, que convidou para o evento mais de 4.169 pessoas, sendo que 286 dizem que vão e 89 estão indecisas.

Jorge Teixeira acrescentou que se trata "de um evento espontâneo, que vai decorrer de forma improvisada, e em que serão bem-vindos todos quantos querem comemorar o desaparecimento de Cavaco Silva das nossas vidas".

Adiantou que o objetivo é "comemorar a saída de cena de Cavaco Silva exatamente, com tudo aquilo que ele sempre mostrou ter um enorme desprezo, as pessoas, a cultura e a festa de rua".

O objetivo é reunir gente da música, das artes, do teatro, das letras, da fotografia, da ciência, da educação e com todos aqueles que não se revêm nesse que foi o político mais influente do nosso regime democrático", adianta a publicação nas redes sociais.

A realização de uma queimada galega, com a adaptação do tradicional esconjuro a Cavaco Silva é uma das iniciativas confirmadas.

O professor do ensino superior e ator amador, José Escaleira, responsável pela adaptação do esconjuro adiantou que "a intenção passa por aproveitar a cultura e tradição dos povos do Alto Minho e da Galiza, para fazer crítica social".

Vamos manter a matriz do esconjunto e introduzir uma adaptação relacionada com os mandatos do presidente da República Cavaco Silva, num espírito de pós entrudo e de entrada na primavera que coincide com a saída de Cavaco Silva", explicou.

A rir se vão dizendo umas verdades", afirmou.

O evento inclui ainda a declamação de excertos do manifesto anti-Cavaco Silva de Mário Viegas, por um ator local, momentos de música, canto, a projeção de imagens "icónicas" de Cavaco Silva, entre outras formas de expressão artística.

O microfone do sistema de som que iremos instalar estará aberto a todos", frisou Jorge Teixeira.