Desde que entrou em vigor a carta de condução por pontos, só 3% das multas resultaram na perda de pontos. O sistema, que foi lançado a 1 de junho de 2016, não estará a funcionar.

Segundo o Jornal de Notícias, a PSP e a GNR levantaram, no primeiro anos, mais de 407 mil autos nas categorias que podem levar à perda de pontos nas cartas de condução: infrações graves, muito graves e crimes.

No entanto, só 14 mil condutores tiveram pontos descontados, o que significa que apenas 3,4% dos multados perderam pontos.

O presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa, José Miguel Trigoso, considerou, em declarações àquele jornal, que existe um "clima de impunidade" e que, na maioria dos casos, a perda de pontos se deveu a crime rodoviários.

José Miguel Trigoso conclui ainda que esta falha está a beneficiar o infrator grave porque o sistema tem dificuldade em atualizar os processos.

Em maio, apenas 27 condutores tinham perdido todos os pontos da carta mas nenhum tinha ficado, na altura, sem carta de condução. Um ano depois de ter entrado em vigor, o sistema da carta por pontos não conseguiu ainda reduzir os números da sinistralidade.