Os 30 veículos elétricos do Estado evitaram a emissão de 11 toneladas de dióxido de carbono (CO2) ao fazerem mais de 100.000 quilómetros em cerca de 20.000 viagens realizadas essencialmente em meio urbano, indicou esta quarta-feira o Ministério do Ambiente.

Em comunicado, o Ministério do Ambiente adianta que “a utilização destes veículos elétricos apresentou um custo médio de 0,03 euros por quilómetro, conduzindo a uma poupança acumulada superior a 6.000 euros, valores que evidenciam as vantagens associadas à mobilidade elétrica”.

Os 30 veículos elétricos estão em circulação desde outubro de 2015 e fazem parte da fase piloto do Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública (AP), que envolve 12 entidades da administração direta do Estado e institutos públicos dos ministérios das Finanças e do Ambiente.

Segundo o Ministério do Ambiente, os indicadores de acompanhamento do programa são retirados do sistema de monitorização do Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na AP, que contabiliza a redução efetiva de emissões, poupanças e os custos associados à mobilidade elétrica, além de um conjunto de indicadores sobre a mobilidade no Estado e o desempenho dos veículos elétricos.

O Ministério avança também que este sistema “constitui uma ferramenta que apoia a gestão da mobilidade e a sensibilização dos condutores para uma condução ecológica”.

O Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na AP visa a aquisição progressiva de 1.200 veículos elétricos para o Parque de Veículos do Estado (PVE), com vista à renovação da frota de veículos com mais de 10 anos.

O Ministério do Ambiente adianta que o programa tem como objetivo promover a descarbonização e a melhoria do desempenho ambiental do PVE, promover a mobilidade elétrica e contribuir para a redução dos custos da frota do estado.

O Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na AP enquadra-se no ECO.mob - Programa para a Mobilidade Sustentável na AP - e é financiado pelo Fundo Português de Carbono.