Eis uma mistura explosiva. E fatal, a prazo: o consumo de carnes vemelhas, ovos e laticínios associado a hábitos de vida desregrados.

Se está a pensar ser mais saudável, saiba que uma dieta rica em nozes, frango e peixe lhe pode prolongar os anos de vida. 

Um estudo da Universidade de Harvard, publicado na revista Journal of the American Medical Association (JAMA), revela que um ritmo de vida associado a fatores de risco - consumo de álcool, tabaco e excesso de peso - em conjunto com o consumo de carnes vermelhas pode ser bastante prejudicial para a saúde. E até fatal.

No entanto, quando o consumo de carnes vermelhas está associado a pessoas com um ritmo de vida saudável - alimentação equilibrada e prática de exercício físico - os efeitos negativos da proteína animal são francamente menores.

Esperávamos encontrar ligações mais fracas no grupo em que as pessoas têm um estilo de vida saudável, mas não estávamos à espera que o risco não existisse”, disse um dos autores, Mingyang Song, em declarações publicadas pela agência de informação France Press.

Apesar de tudo, os resultados levam os investigadores a aconselhar as pessoas a consumir carnes brancas e peixe: 

As nossas descobertas sugerem que as pessoas deveriam comer mais proteínas vegetais do que proteínas animais e, quando tiverem que escolher entre fontes de proteína animal, o peixe e o frango serão certamente as melhores escolhas”, referiu o investigador. 

Ovos e latícínios também pesam 

O estudo revela ainda não serem apenas as carnes vermelhas a estar associadas a um risco negativo para a saúde humana, especialmente quando consumidas por quem tem hábitos de vida pouco regrados. De acordo com os investigadores, os ovos e os laticínios também podem ser prejudiciais para a saúde.

O estudo avaliou mais de 130 mil indivíduos, através de observação e questionários. Uma amostra que, contudo, não é considerada como concludente para o médico Ian Johnson, do Instituto norte-americano de Investigação Alimentar.

Para este especialista, faltou à investigação analisar os processos biológicos dos indivíduos.

[O estudo] Está longe de ser claro quanto ao facto de as proteínas vegetais serem ou não benéficas, ou se as proteínas animais são prejudiciais para a saúde, ou se esses níveis de proteína são simplesmente marcadores para uma outra coisa."

O estudo revela ainda que a taxa de mortalidade mais baixa foi registada entre pessoas que ingerem proteínas através de pão, cereais, massas, feijão, nozes e leguminosas.