“Se a lei chegar a existir e disser isso, a lei terá que ser cumprida. Eu não sei é, se nessas circunstâncias, serei presidente da ERC”, afirmou Carlos Magno.


“Eu acho que esta lei é um equívoco. Este projeto é um equívoco. Nada disto vai acontecer. O excesso de planeamento prévio, como eu já tenho vindo a dizer, faz-me lembrar outras coisas prévias que eu aqui me autocensuro de dizer. Vejo com alguma dificuldade que a ERC e a Comissão Nacional de Eleições possam, inclusivamente, criar uma comissão mista ou constituir uma comissão mista. Inclusivamente, o histórico aqui aconselha-me alguma prudência. Primeiro, porque eu sei que sou jornalista, defendo a liberdade de expressão, mas também tenho ideias muito próprias e há momentos em que uma pessoa tem que dizer que não e tomar uma atitude que seja exemplar”, acrescentou à TVI24 o responsável da entidade reguladora.




Veja também:
Legislativas: “Medida viola todos os princípios da liberdade”
PSD nega "qualquer ideia de limitar a liberdade jornalística"




negou hoje tratar-se de um "visto prévio"