O presidente do Sporting Clube de Portugal, Filipe Soares Franco, foi esta sexta-feira de manhã ouvido na Divisão de Investigação Criminal da PSP de Lisboa, no âmbito de um processo por burla, abuso de confiança e infidelidade.

A notícia foi confirmada ao TVI24 por fonte ligada ao dirigente desportivo.

Também o advogado Rogério Alves confirmou esta manhã que Soares Franco foi «interrogado» a pedido do Ministério Público dos Açores, na Divisão de Investigação Criminal da PSP de Lisboa, no âmbito de um processo-crime que corre termos no Tribunal Judicial de Ponta Delgada.

«Não posso adiantar mais pormenores porque o caso está em segredo de justiça», referiu Rogério Alves ao TVI24.

A «TVI» noticiou, há uma semana, que estão em causa cerca de 1,5 milhões de euros, alegadamente relacionados com a venda de um terreno pertencente à família Borges Coutinho.

O líder leonino foi constituído arguido no final do ano passado, estando em causa o montante por ele recebido enquanto procurador da sogra na venda de um terreno, em 1998.

Relacionado com os mesmos factos está pendente no tribunal de Cascais (residência do visado e da autora) uma acção cível de prestação de contas.

Questionado pela «TVI», na semana passada, Soares Franco fez questão de esclarecer que os dois processos são de âmbito estritamente pessoal.