A Polícia Judiciária (PJ) anunciou ter detido um homem de 64 anos pela prática de crimes de burla qualificada e de falsificação de documentos, na área da Covilhã.

Em comunicado, a PJ refere que os crimes terão ocorrido entre janeiro de 2008 e agosto de 2016, na área da instância local da Covilhã.

"Agindo enquanto funcionário de uma instituição de crédito e utilizando de forma ilegítima e fraudulenta os dados de identificação de vários clientes, o suspeito forjou a abertura de três contas bancárias, através das quais formalizou diversos empréstimos com os quais se locupletou (enriqueceu), num valor aproximado de 370.000 euros, lesando assim a instituição de crédito para a qual trabalhava", explica.

Depois de presente às autoridades judiciárias, o suspeito ficou obrigado a apresentar-se diariamente às autoridades policiais da sua área de residência e sujeito a "tratamento de dependência", acrescenta.