A Justiça brasileira vai enviar uma nova carta rogatória a Duarte Lima para o notificar da decisão de o levar a julgamento pelo homicídio de Rosalina Ribeiro, em 2009.
 
Segundo avança o “Jornal I”, o juiz de Saquarema, Ricardo Pinheiro, decidiu que Duarte Lima deve continuar em prisão preventiva, por considerar que existem fortes indícios da autoria do crime. Esta decisão faz com que o nome de Duarte Lima continue na lista dos procurados da Interpol.
 
Falta, apenas, marcar a data do julgamento, que será feito por um tribunal de júri.
 
Duarte Lima está em Portugal, onde aguarda decisão sobre um recurso de uma condenação a 10 anos de prisão por crimes de natureza económica. Por este motivo, o ex-deputado não pode ser extraditado para o Brasil.
 
Segundo o advogado, Duarte Lima está tranquilo e ainda não decidiu se estará, ou não, presente no julgamento que não deverá acontecer antes de julho.