O Estado gasta mais no combate aos fogos do que na prevenção. São dados da Autoridade Nacional da Proteção Civil apresentados pelo jornal Público nesta segunda-feira.

Este ano, para o combate estão previstos 74 milhões de euros, enquanto 20 milhões estão reservados à prevenção. Feitas as contas, o Estado dedica à prevenção apenas pouco mais de 20% do total atribuído à luta contra os incêndios e o fosso pode vir a revelar-se maior já que há ainda que fazer os ajustamentos finais tendo em conta as despesas extraordinárias.

A maior fatia na prevenção foi para Sapadores Florestais e só 3,8 milhões de euros destinaram-se a infraestruturas de defesa da floresta, como beneficiação de pontos de água, manutenção da rede viária florestal e de faixas de gestão de combustíveis.

Os especialistas defendem que é necessário haver um maior equilíbrio nas verbas de combate e prevenção e há mesmo quem defenda que a haver desequilíbrio ele deverá pender para o lado da prevenção.