O incêndio que lavra desde a madrugada de hoje no concelho de Amarante está a ser combatido por 177 bombeiros, auxiliados por 44 veículos e três meios aéreos, mas a situação é agora «mais favorável», segundo a proteção civil.

Em declarações à agência Lusa, o comandante da Proteção Civil de Amarante, Hélder Ferreira, disse que a esta hora a «situação é mais favorável» em relação ao período da manhã, graças à intervenção dos meios aéreos (dois aviões e um helicóptero), uma vez que há zonas de muito difícil acesso por terra.

«Neste momento não temos habitações em risco, mas continuamos a ter colunas grandes de fumo e várias frentes ativas. Vamos ver como [o fogo] vai reagir com à descida de temperatura», disse aquele responsável.

Segundo Hélder Ferreira, «os meios aéreos estão a combater as frentes próximas da freguesia Canadelo, Aboadela e Fridão», para evitar que as chamas atinjam uma importante área florestal da serra do Marão.

«A imagem vista de quem está de fora do teatro de operações é um bocado dantesca, porque há uma névoa imensa de fumo que se abateu sobre a zona», frisou.

O fogo começou de madrugada numa zona de mato.

Segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) na Internet, no combate às chamas estão envolvidos 212 homens ¿ entre bombeiros, sapadores florestais e outros elementos.

Às 16:20 lavravam seis incêndios florestais no país. Desde as 00:00 deflagraram 68, segundo a ANPC.

Atualizado às 16:30