O pico de acessos registado esta terça-feira à plataforma eletrónica para entregar candidaturas a bolsas de estudo no ensino superior está a dificultar a submissão de pedidos e pode levar os estudantes a perder um mês de bolsa.

O Bloco de Esquerda denunciou hoje um bloqueio na plataforma eletrónica para candidaturas a bolsas de estudo no ensino superior, dia em que termina o prazo de submissão de candidaturas que permitem receber apoios para todo o ano letivo, caso sejam deferidos.

Para todos os pedidos entregues a partir de 01 de outubro, e até 31 de maio, caso sejam aceites, «o valor da bolsa de estudo a atribuir é proporcional ao valor calculado nos termos do regulamento, considerando o período que medeia entre o mês seguinte ao da submissão do requerimento e o fim do período letivo ou do estágio», ou seja, os alunos perdem um mês de bolsa se entregarem a candidatura em outubro, esclareceu o Ministério da Educação e Ciência (MEC).

«Chegaram ao Bloco de Esquerda informações múltiplas de que a plataforma online está bloqueada devido ao elevado número de acessos e candidatos. Mais uma vez uma plataforma online da administração pública não está preparada para cumprir a sua função. Levanta-se por isso a questão de saber se o Governo previu algum plano para garantir que os prejudicados se possam candidatar fora do prazo indicado, evitando assim injustiças graves», questionou o partido, em comunicado.

Em resposta enviada à agência Lusa, o MEC apresentou dados representativos do «pico de acessos» registado hoje em comparação com o restante período de submissão de candidaturas, que decorre desde 25 de junho.

Na segunda-feira foram submetidos 3.243 pedidos de bolsa, acima dos 2.817 registados em igual dia de 2013, e hoje, 30 de setembro, até às 18:30, chegaram aos serviços do MEC 2.099 candidaturas, ainda assim, bastante abaixo das 5.803 submetidas em igual dia 2013.

Até final de agosto as submissões diárias fixaram-se em valores na ordem das centenas, chegando aos milhares a partir do início de setembro, com registos diários entre as cerca de 1.300 a 1.500 candidaturas.

«Como se pode verificar, um número muito significativo de estudantes submete os seus pedidos nos últimos dias do prazo. Nestas condições é natural que existam demoras ou dificuldades de acesso à plataforma que decorrem do facto de se deixar para o último dia do prazo a apresentação do pedido», sublinhou o MEC.

O MEC recordou ainda que «os estudantes que concorreram ao ensino superior no presente ano letivo através do concurso nacional de acesso puderam submeter o seu pedido de bolsa logo a seguir à candidatura, ainda antes da colocação sendo o seu processo transferido eletronicamente para a instituição de ensino superior onde venham a ser colocados».

«A informação acerca desta possibilidade é dada no próprio formulário online da candidatura», acrescenta.

O MEC recebeu até hoje cerca de menos 2.500 candidaturas a bolsas de estudo no ensino superior do que em igual período do ano passado, registando um total de 74.556 candidaturas até ao momento.

De acordo com dados do MEC, em igual período de 2013 houve mais 2.402 candidaturas, num total de 76.958 registos.