Terminam esta segunda-feira, às 18:00, as candidaturas à Bolsa de Contratação de Escola (BCE), que vai colocar professores em horários em mais de 300 agrupamentos e escolas não agrupadas consideradas de intervenção prioritária ou com contratos de autonomia.

Num aviso publicado no portal da Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE), explica-se que, ao candidatar-se às ofertas da BCE, os professores estão a “manifestar interesse para uma oferta que surja ao longo do ano letivo” nas escolas e agrupamentos a que concorram.

A nota informativa que acompanha o aviso refere também que estão disponíveis minutas para declaração de comprovação de dados relativos aos critérios de avaliação exigidos pelas escolas nas candidaturas, as quais devem ser preenchidas pelos diretores escolares, a pedido dos candidatos.

“Os docentes que não comprovarem os dados inseridos na candidatura, não poderão celebrar contrato”, refere a nota da DGAE, acrescentando que aqueles que prestarem falsas declarações e confirmações de dados ficam sujeitos a sanções que podem ir da anulação da eventual colocação obtida ao afastamento dos concursos de professores ao longo do ano.

No ano passado, o primeiro em que se aplicou a BCE como forma de colocação de professores contratados nas escolas consideradas Territórios Educativos de Intervenção Prioritária (TEIP) e nas escolas com contrato de autonomia, a dificuldade em confirmar a veracidade dos dados apresentados pelos professores, nas suas candidaturas, contribuiu para atrasar o processo de colocação.

A publicação das listas ordenadas deve ser feita por cada escola que tenha lançado horários a concurso na BCE.

As colocações pela BCE devem arrancar a 2 de setembro, estando este ano totalmente entregue às escolas e aos seus diretores, os quais terão a responsabilidade de contactar os candidatos selecionados, de acordo com a Lusa. O ano letivo arranca até 21 de setembro.