A Polícia Judiciária está a efetuar buscas na consultora KPMG, em Lisboa. A notícia foi avançada pelo semanário Expresso e confirmada pela TVI.

Ainda segundo informações recolhidas pela TVI, as diligências estão relacionadas com um dos processos ligados ao BES.

A Lusa adianta que as buscas estão a ser efetuadas por elementos da Unidade de Combate à Corrupção da PJ.

A Procuradoria-Geral da República confirmou, entretanto a realização das buscas e adiantou que a investigação pertence ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

A empresa de consultoria KPMG disse que continuará a "colaborar com as autoridades judiciais", nos processos relativos ao "universo BES", observando que estes "não visam a KPMG Portugal, que é mera depositária de informação".

A posição consta de um comunicado enviado à agência Lusa pela KPMG Portugal, na qual se confirma que, durante o dia de hoje, as suas instalações em Lisboa foram alvo de diligências por parte das autoridades judiciárias, por causa de processos em curso relativos ao universo BES.

A KPMG presta serviços na área da auditoria, fiscalidade, consultoria de risco e financeira, tendo sido em 2002 contratada para auditar as contas do BES.

O presidente da KPMG Portugal e KPMG Angola, Sikander Sattar, chegou a ser ouvido na comissão de inquérito parlamentar ao caso BES em janeiro de 2015, designadamente as contas do BES Angola (BESA).