O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) indeferiu um recurso do ex-presidente do Benfica Vale e Azevedo, em que este pedia a liberdade condicional, disse esta terça-feira à agência Lusa fonte do TRL.

A mesma fonte adiantou que, por decisão dos juízes desembargadores Agostinho Torres (relator) e João Carrola, foi "julgado improcedente" o recurso relativo ao pedido de liberdade condicional.

Vale e Azevedo está a cumprir pena no Estabelecimento Prisional da Carregueira, Sintra, ao abrigo da extradição para Portugal, no âmbito do cúmulo jurídico de 11 anos e meio, fixado com as condenações nos processos Ovchinnikov, Euroárea, Dantas da Cunha e Ribafria, por crimes de burla, entre outros ilícitos de natureza económica e financeira.

O ex-presidente do Benfica chegou a Lisboa a 12 de novembro de 2012 após as autoridades britânicas terem permitido a sua extradição, aceitando o mandado de detenção europeu emitido pelas autoridades judiciárias portuguesas.

A advogada de Vale e Azevedo, Luísa Cruz, disse à Lusa que ainda não foi notificada da decisão da Relação.

Luísa Cruz esclareceu contudo que o recurso interposto pelo ex-presidente do Benfica se prendia com a decisão do Tribunal de Execução de Penas, de julho, que não recusou a liberdade condicional a Vale e Azevedo por este alegadamente não ter feito a "interiorização da culpa".

A advogada revelou estar ainda pendente, na Relação de Lisboa, um outro recurso de Vale e Azevedo relacionado com um processo do Benfica que envolveu a transferência de futebolistas.