O Ministério Público (MP) pediu o julgamento em tribunal coletivo da mãe do menino de 17 meses desaparecido na Calheta, Madeira, em janeiro de 2014, informou hoje o MP.

Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), a mãe do menino de 17 meses desaparecido na Calheta a 19 de janeiro de 2014 está acusada dos crimes de rapto e de tráfico de pessoas.

A acusação foi deduzida contra a mãe do menor, por se terem recolhido indícios, considerados suficientes, de que foi esta a responsável pelo desaparecimento da criança, com vista a vendê-la a terceiros para que estes a pudessem adotar por via ilícita", acrescenta a PGDL.

Daniel, um menino de 17 meses, desapareceu a 19 de janeiro de 2014 de casa de familiares residentes no Estreiro da Calheta, no sítio do Lombo dos Reis Acima.

O alerta do desaparecimento da criança, que viria a ser encontrada três dias depois numa zona de floresta perto do local onde desaparecera com sinais de frio, foi dado pelos pais da criança.

A mãe de Daniel foi detida pela Polícia Judiciária para ser interrogada dois dias depois do desaparecimento da criança por suspeita de envolvimento no desaparecimento do filho.