O militar da GNR ferido no incidente registado na madrugada de hoje em Pinhal Novo, e que foi internado no Hospital de São Bernardo, em Setúbal, já teve alta, disse à Lusa fonte da corporação que em comunicado lamentou ainda a morte do militar que «sacrificou a vida».

O porta-voz do comando territorial da GNR de Setúbal, tenente-coronel Jorge Goulão, disse à Lusa que o militar «teve já alta hospitalar».

Ao final da tarde deste domingo a GNR enviou às redações um comunicado oficial sobre o incidente onde atualiza o número de feridos para sete. «Deste incidente táctico policial resultou a morte do militar da GNR e do sequestrador, tendo ficado feridas sete pessoas, entre as quais quatro militares», escreve a Guarda.

«É com profundo pesar que a GNR vê partir mais um dos seus militares, que ao serviço da segurança pública sacrificou a sua própria vida», lamenta ainda o comunicado.

Jorge Goulão não adiantou quaisquer pormenores sobre as exéquias do militar de 29 anos morto durante a mesma operação policial num restaurante em Pinhal Novo, no distrito de Setúbal.

Um homem, que esteve barricado cerca de sete horas num restaurante no Pinhal Novo, na madrugada de hoje, matou um militar da GNR e feriu sete pessoas, tendo sido morto numa operação policial pouco depois das 05:00.

Um militar da GNR foi um dos primeiros a chegar ao restaurante, onde um homem esteve barricado cerca de sete horas. Dos outros sete feridos, quatro também são da GNR, segundo comunicado desta corporação.