A profundidade, a falta de visibilidade e o fundo muito irregular da Barragem de Santa Clara, em Ourique (Beja), têm dificultado as buscas para encontrar o britânico desaparecido nas águas da albufeira, segundo fonte dos bombeiros.

"A profundidade, que chega aos 32 metros, a falta de visibilidade a partir dos 16 a 17 metros de profundidade, a existência de escarpas e o fundo muito irregular da barragem têm dificultado as buscas", disse hoje à agência Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários de Ourique, Mário Batista.

O britânico, de 29 anos, está desaparecido desde a tarde de segunda-feira na barragem de Santa Clara, no concelho de Ourique, distrito de Beja.

Segundo Mário Batista, o homem integrava um grupo de 10 pessoas de nacionalidade britânica que estava a navegar na barragem, sendo que seis seguiam a bordo de uma embarcação e quatro numa na boia, tipo banana, que era rebocada pelo barco.

"As quatro pessoas que estavam na boia caiaram à água, tendo três voltado para o barco e um homem está dado como desaparecido", explicou o comandante.

O alerta para o desaparecimento foi dado às 16:54 de segunda-feira, tendo as buscas sido iniciadas com meios e operacionais dos bombeiros de Ourique e de Odemira e uma equipa de mergulhadores da Força Especial de Bombeiros (FEB).

Hoje de manhã, os "meios foram reforçados", envolvendo um total 61 elementos, 21 veículos e seis embarcações dos Bombeiros Voluntários de Ourique e Odemira, das unidades de mergulhadores de Faro, Portalegre e Setúbal, da FEB, GNR e do INEM, precisou Mário Batista.

Se o britânico não for encontrado antes de as buscas serem suspensas hoje, "ao pôr-do-sol", a operação será retomada na quinta-feira, às 07:30, adiantou.