morreu na sexta-feira

Em comunicado, a ASPP/PSP refere que este “acontecimento trágico ilustra a forma como os profissionais da PSP abraçam a sua profissão, mesmo depois de já estarem no gozo do merecido descanso após uma vida de trabalho”.

“Ser polícia é um modo de vida que assumimos no dia em que entramos na instituição e que jamais abandonamos, quer estejamos ou não ao serviço”, acrescenta o sindicato mais representativo da PSP.

O assalto ocorreu entre as 19:00 e as 19:15 num supermercado na zona da Buraca, durante o qual o homem ficou ferido com gravidade, ao ter sido atingido a tiro na cabeça, tendo falecido um dia depois, no Hospital Santa Maria, na sequência dos ferimentos.