Atualizado às 13:27

Os corpos das 33 vítimas do acidente com um avião moçambicano, na sexta-feira no norte da Namíbia, foram trasladados hoje, por via aérea, para a capital, Windhoek, revela a estação de televisão namibiana NBC News.

Segundo o investigador criminal Willie Bampton, que tem conduzido as operações de investigação, os corpos e restos mortais dos 27 passageiros - incluindo seis portugueses - e dos seis tripulantes, foram transferidos num aparelho militar da Namíbia.

Serão agora efetuados exames forenses e autópsias às vítimas, desconhecendo-se quando é que serão trasladados para os países de origem.

Sem data para a transladação das vítimas para Portugal

O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas já tinha dito que as autoridades da Namíbia estavam a remover os corpos das vítimas do acidente do avião da LAM que se despenhou na ligação entre Maputo e Luanda.

O governante acrescentou também que as autoridades portuguesas estão em contacto com as famílias das vítimas nacionais e a prestar, aos que se deslocaram a África, a assistência possível e solicitada sob a coordenação da Direção Geral dos Assuntos Consulares.

O Secretário de Estado acrescentou ainda não ter uma data precisa para a transladação dos corpos para Portugal, mas acredita que essa ação seja possível ao longo da semana.

O avião das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), que partiu na sexta-feira de Maputo, foi encontrado sábado carbonizado no Parque Nacional de Nwabwata, no norte da Namíbia, não existindo sobreviventes.

Além dos cidadãos portugueses e dos seis tripulantes, no avião seguiam, segundo a LAM, passageiros de nacionalidade moçambicana, angolana, francesa, brasileira e chinesa.

Nomes das vítimas portuguesas já são conhecidos

Entre os seis portugueses mortos, estão um antigo jogador de andebol do Sporting. Um empresário de Estarreja e o sobrinho e também um luso-brasileiro.

O empresário de Estarreja, António Soares Nunes, de 65 anos, viajava com um sobrinho de 45 anos, António Silva Nunes, que com ele trabalhava nos negócios que mantinha em Angola e Moçambique.

Outra vítima é Sérgio Soveral, um luso-brasileiro de 36 anos, empresário dos transportes de mercadorias, residente em Rio Maior, que também tinha negócios em Angola e Moçambique.

O antigo jogador de andebol do Sporting, José Carlos Soares, 52 anos, também perdeu a vida neste acidente. O clube expressou o seu pesar num comunicado divulgado na internet.

Perdeu ainda a vida Luís Fernandes, de 40 anos. Era do Porto e estava em Maputo há dois anos, segundo avança o «Correio da Manhã».

Também Bernardo Soares, de 50 anos morreu no acidente. Era presidente da MSC Angola, ligada aos transportes internacionais, escreve o CM.