Doze portugueses, incluindo uma criança, morreram quando a viatura em que viajavam colidiu com um camião, na noite de quinta para sexta-feira, em Allier, no centro de França. 

O minibus viajava da Suíça para Portugal quando o acidente aconteceu, poucos minutos antes da meia-noite. O grupo de emigrantes "ia a caminho de Coimbra para passar o fim de semana pascal", segundo David Delavoet, secretário-geral da Prefeitura de Allier, onde se deu o acidente, em declarações à Paris Info. 

“Os 12 passageiros do 'minibus', que eram todos portugueses, estão mortos”, indicaram as autoridades locais, em comunicado citado pela AFP.

Uma família de Cinfães, no distrito de Viseu, composta por um casal e uma criança de sete anos figuram entre as vítimas. Um homem de 35 anos, também de Cinfães, perdeu a vida, segundo o presidente da Câmara.  Três são de Trancoso, distrito da Guarda.  E duas, pelo menos, naturais de Oliveira de Azeméis, segundo o testemunho de um amigo. 

“São 12 mortos, em princípio, com idades entre os sete e 63 anos”, disse a mesma fonte consular, acrescentando que “11 dos portugueses já foram identificados e são todos residentes na Suíça”."Resta-nos identificar apenas uma pessoa", disse a fonte. Informação que foi confirmada pelo procurador, em conferência de imprensa. 

Vinham comemorar os 90 anos da sogra

Entretanto, o presidente da Câmara de Sernancelhe anunciou que três das doze vítimas mortais do acidente ocorrido perto de Lyon, em França, eram naturais do concelho, mas uma delas tinha casado no concelho vizinho de Trancoso.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Silva Santiago disse que, à hora de almoço, soube que entre as vítimas do acidente registado na estrada nacional 79, na localidade de Moulins, departamento francês de Allier, está um casal e um seu familiar naturais de Arnas.

“Essas três vítimas estão confirmadas. É um casal e um cunhado. Esse cunhado (irmão da mulher) era natural de Arnas, mas casou em Palhais, uma aldeia que fica perto, só que já pertence ao concelho de Trancoso”, explicou.

O autarca disse haver “informações de que eles vinham à comemoração dos 90 anos da sogra e aproveitavam para passavam a Páscoa”, desconhecendo da mãe de quem se trata.

Os corpos, que estiveram em câmara ardente num edifício camarário, vão ser transferidos para o hospital de Moulins. Mais um acidente com portugueses. Muitos têm sido os portugueses que têm perdido a vida nas estradas lá fora. 

Acidente: o que aconteceu

O mini-autocarro ter-se-á desviado para a faixa contrária e colidiu de frente com o camião. O condutor da viatura de passageiros e os dois condutores italianos do camião sobreviveram ao acidente, mas ficaram feridos, escreve a AFP.

O veículo em que seguiam os portugueses saiu da Suíça por volta das 21:00 de quinta-feira e teria como destino Portugal. O acidente ocorreu por volta das 23:45 na estrada nacional 79, perto de Lyon, na localidade de Moulins, no departamento de Allier, no centro de França, adiantou a mesma fonte. Segundo a fonte consular, “neste trecho da estrada ocorrerem muitos acidentes”.

 

 

Condutor tem 19 anos e sobreviveu

O condutor da carrinha envolvida no choque frontal com um camião esta noite em França, que resultou na morte de 12 portugueses, sobreviveu ao acidente e não acusou álcool no sangue, disse fonte judiciária à agência AFP. O procurador de Moulins adiantou que o motorista tem 19 anos, também português, natural de Carapito, Aguiar da Beira. Os amigos defendem-no

 

 

Uma investigação foi aberta para apurar as causas do acidente rodoviário. Desde logo, o procurador quer saber se a viatura "tinha condições para transportar 13 pessoas". A questão voltou a ser colocada ao início da tarde. "Pode uma carrinha de seis lugares levar 12 pessoas? É uma questão a analisar", disse a polícia, segundo o La Montagne. 

 

 

Segundo os testemunhos recolhidos pela brigada de trânsito de Yzeure, a carrinha desviou-se para a faixa da esquerda e colidiu com o camião, que não conseguiu evitar o choque frontal, escreve o jornal francês La Montagne, naquela que é conhecida como a "estrada da morte". 

Citando as autoridades, o jornal Le Monde refere que "o minibus que partiu da Suíça por volta das 20:00 locais na quinta-feira e transportando 13 pessoas com destino a Portugal para o fim de semana da Páscoa desviou a sua rota por uma razão ainda desconhecida e colidiu frontalmente com um camião que seguia em sentido inverso". 

Uma "hecatombe", disse Gérard Deriot, um representante político local, que se abateu sobre aquela localidade com apenas 700 habitantes.  

 

Portugueses em França prestam homenagem aos emigrantes mortos

 

 

 

Governo francês lamenta as mortes dos portugueses

Os governos português e francês lamentaram as mortes dos portugueses. O primeiro-ministro francês, Manuel Valls já reagiu publicamente ao acidente, transmitindo os sentimentos às famílias pela situação "medonha". 

 

O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, e o secretário de Estado dos Transportes francês emitiram um comunicado onde expressam as condolências às famílias. 

"Os ministros endereçam às famílias as suas condolências e todo o seu apoio neste terrível acontecimento".

 

 

Perto de 60 bombeiros, seis equipas dos serviços de emergência franceses, cerca de 20 polícias e agentes da direção interdepartamental de estradas foram mobilizados para o local do acidente, onde constataram os óbitos. A estrada esteve cortada durante toda a noite. A circulação ao quilómetro 44 da RCEA esteve cortada o tempo necessário para as operações de lavagem da estrada e reboques do camião e carrinha, informou o La Montagne.

 

 

O apoio às famílias

Em Cinfães, de onde era natural um casal e a filha de sete anos, a população está consternada neste fim de semana de Páscoa. As Câmras de Cinfães e Oliveira de Azeméis já se disponibilizaram para prestar apoio às famílias. O governo português anunciou duas linhas de apoio às famílias. 

 

 

A cônsul portuguesa já se encontra no local e esteve reunida com o diretor do hospital de Moulins. Um gabinte de apoio psicológico às famílias também estará disponível durante o fim de semana.