A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL) vai criar uma linha de apoio aos munícipes dos concelhos que a integram, medida que vai permitir a gestão de pedidos e reclamações, mas também a denúncia de situações de emergência social.

A medida é uma de várias que constam na candidatura relativa aos serviços partilhados da CIMRL, aprovada pela Direção-Geral das Autarquias Locais e para a qual dispõe de uma verba de 350 mil euros.

A linha verde de apoio, integrada num ‘call center’ intermunicipal, vai contemplar também os serviços de piquete de águas, saneamento e ambiente, e da proteção civil, além de ser possível solicitar a intervenção da autoridade sanitária, refere um documento da CIMRL a que a agência Lusa teve acesso.

Outra das iniciativas previstas passa pela disponibilização de serviços de apoio aos cidadãos através de aplicações para ‘smartphone’ e ‘tablet’.

Nessas aplicações, os munícipes vão poder ter acesso a serviços de águas e saneamento e a códigos QR [códigos de barras bidimensionais que podem ser lidos por ‘smartphone’ e ‘tablet’] para conteúdos turísticos.

Informações relativas a serviços de recolha do lixo, transportes escolares e coletivos (bilhetes/vinhetas, horários e circuitos), equipamentos desportivos (piscinas, pavilhões e outros recintos de jogos), consulta de faturas eletrónicas de serviços municipais, promoção de eventos e agendas municipais eletrónicas, e estacionamento vão igualmente ficar disponíveis.

Uma das ações é a criação de um ‘datacenter’ intermunicipal que vai concentrar toda esta informação, assim como alojar o sistema de informação geográfica (SIG), “instrumento base de apoio à decisão dos líderes municipais”.

No caso do serviço do SIG/cartografia e cadastro intermunicipal, a comunidade considera este como um “serviço fundamental na modernização administrativa”, pois visa dotar os municípios de informação “para diversas atividades municipais, nomeadamente projetos de arquitetura, engenharia”, além de “permitir a permanente atualização das bases cartográficas municipais necessárias para a gestão do território”.

Por outro lado, prevê a “criação da rede de apoio topográfico municipal que permitirá que todos os levantamentos topográficos sejam efetuados de forma georreferenciada”, além de preparar as autarquias “para dar cumprimento às novas exigências no âmbito da reforma do cadastro predial”.

A formação de técnicos das autarquias e a realização de obras na sede da Comunidade Intermunicipal são outros das iniciativas financiadas por esta candidatura.

À agência Lusa, o presidente da CIMRL, Raul Castro, considera este projeto uma “mais-valia que pode representar uma economia de custos e agilizar procedimentos” dos municípios.

Raul Castro, também presidente da Câmara de Leiria, disse ainda não ter dúvidas de que o investimento vai resultar “numa beneficiação para todos os municípios”, assim como para a população.

Além de Leiria, integram a CIMRL Alvaiázere, Ansião, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Marinha Grande, Pedrógão Grande, Pombal e Porto de Mós.