O militar da GNR baleado terça-feira em Aguiar da Beira já teve alta hospitalar, segundo informação da Agência Lusa, recolhida junto de fonte oficial do Centro Hospitalar Tondela-Viseu.

De acordo com a fonte do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, a alta foi dada ainda na sexta-feira.

O militar de 41 anos sofreu, na última terça-feira, um traumatismo cranioencefálico causado por arma de fogo, em Aguiar da Beira, quando foi alvejado juntamente com o camarada de patrulha, que foi assassinado.

Nesse mesmo dia, um  civil foi também morto, presumivelmente pelo mesmo atirador, ficando ainda ferida a sua mulher que continua internada no Centro Hospitalar Tondela-Viseu.

Mantém-se em estado crítico e com um prognóstico muito reservado", é o relato que se mantém por parte dos responsáveis hospitalares sobre a mulher que sofreu um traumatismo cranioencefálico grave.

A monte, continua o atirador que matou duas pessoas e feriu outras três. Pedro Dias, de 44 anos, natural de Arouca, é o principal suspeito que continua a ser procurado pelas autoridades portuguesas.