Atualizada às 10h56

Duas pessoas morreram e seis foram dadas como desaparecidas depois do naufrágio do navio pesqueiro português Santa Ana, próximo de Cabo Peñas (Astúrias), informou esta segunda-feira o Salvamento Marítimo espanhol.

Baixio terá causado naufrágio de pesqueiro português

Em comunicado o Salvamento Marítimo afirma que o seu navio Salvamar Rigel recuperou dois cadáveres, estando sete pessoas dadas como desaparecidas.

Fonte do Salvamento Marítimo disse à Lusa que um tripulante, de nacionalidade espanhola, foi resgatado com vida por um outro navio pesqueiro.

A tripulação do Santa Ana era formada por nove tripulantes, dois dos quais portugueses e sete espanhóis.

Desconhece-se para já a nacionalidade dos mortos, mas os dois pescadores portugueses a bordo do navio são de Matosinhos e Leça, disse uma fonte da Associação Pro-Maior Segurança dos Homens do Mar. «Um dos portugueses é de Leça e tinha cerca de 60 anos e o outro é de Matosinhos», disse à agência Lusa o mestre José Festas, da Associação Pro-Maior Segurança dos Homens do Mar (APSHM).

O navio estava registado no porto de Leixões e foi comprado por um armador espanhol da empresa Pescas Balayo. «O navio esteve muitos anos parado em Leixões e depois foi recuperado pelo armador espanhol».

Já o jornal «Faro de Vigo» adianta que quatros dos desaparecidos são galegos. O navio está semiafundado pela zona da popa.

O pesqueiro, de bandeira portuguesa afundou-se hoje a cerca de meia milha de Cabo Peñas, zona onde continuavam esta segunda-feira de manhã as operações de busca envolvendo meios marítimos e aéreos.

O Salvamento Marítimo informou que às 05:30 locais (04:30 em Lisboa) o pesqueiro Ciudad de Albufeira contactou com o Centro de Coordenação de Salvamento em Gijón, alertando para o possível naufrágio do Santa Ana, com o qual deixou de conseguir contactar.

De imediato, segundo o Salvamento Marítimo, foi enviado a embarcação de intervenção rápida Salvamar Rigel e o helicóptero Helimer 203.

Cerca de 20 minutos depois, o pesqueiro Maresco, que também estava na zona do naufrágio, confirmou ter resgatado um tripulante e que estava a caminho da localidade costeira de Luanco, onde o náufrago foi recebido por uma equipa média.

Nas buscas foram envolvidas as embarcações Salvamar Rigel e Salvamar Capella, o helicóptero Helimer 203 e uma equipa de mergulhadores da base estratégica de Fene, do Salvamento Marítimo.

Estavam ainda envolvidas duas embarcações de patrulha da Guarda Civil, uma da Cruz Vermelha e um helicóptero dos bombeiros das Astúrias.

Corpos de dois mortos a caminho das Astúrias

Os corpos de dois dos tripulantes, ainda não identificados, deverão chegar esta segunda-feira de manhã à localidade de Avilés, no norte desta região espanhola.

A mesma fonte confirmou à Lusa que a identidade das duas vítimas mortais do naufrágio deverá ser confirmada apenas depois de os corpos serem entregues à Polícia Judiciária em Avilés, 33 quilómetros norte de Oviedo, a capital das Astúrias.

Os corpos seguiam a bordo do navio Salvamar Rigel, do Salvamento Marítimo, para Avilés, onde são esperados depois das 10:30 locais (09:30 em Lisboa).

A mesma fonte explicou que o naufrágio do Santa Mar, com origem em Portugal, ocorreu por causas ainda não conhecidas, quando o navio encalhou na pequena ilha de Ebrosa, próximo de Cabo Peñas.