Seis homens, entre os 21 e os 41 anos, foram esta sexta-feira detidos pela GNR nas zonas de Elvas, Ferreira do Alentejo e Grândola por suspeitas dos crimes de associação criminosa e furto qualificado, anunciou a força de segurança.

A GNR indicou, em comunicado, que as detenções foram efetuadas na madrugada, no âmbito de uma investigação conduzida pela Secção de Investigação Criminal do Grupo de Intervenção de Operações Especiais da Unidade de Intervenção (UI),

A investigação, coordenada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, decorria há quatro meses. Segundo a GNR, os detidos, “todos da mesma nacionalidade estrangeira”, afirmou à agência Lusa fonte da força de segurança, “faziam parte de uma organização que se dedicava ao furto em estabelecimentos comerciais e industriais, propriedades agrícolas, habitações e ourivesarias, durante o período noturno”.

Nesta operação, designada como “Danúbio” e que culminou “com a detenção dos assaltantes e do recetador”, os militares da GNR deram cumprimento a seis mandados de busca domiciliária e a quatro de busca e apreensão em veículos.

Foram apreendidas “diversas joias em prata, 720 euros em numerário, 32 quilos de tabaco e 147 smartphones”, é referido no comunicado cirtado pela Lusa.

Os seis detidos, adiantou à Lusa a mesma fonte da Guarda, vão ser presentes a tribunal no sábado, no Campus de Justiça, em Lisboa, para primeiro interrogatório judicial.

“A maior parte dos detidos tem antecedentes criminais pela prática dos crimes de associação criminosa, furtos e roubos à mão

armada, tendo um deles sido expulso do país em 2011”, acrescentou a Guarda.

Na operação, foram empenhados 50 militares, pertencentes ao efetivo da UI, à Direção de Investigação Criminal da GNR e aos Comandos Territoriais de Setúbal e de Portalegre.