A vítima mortal e o ferido grave no tiroteio que ocorreu cerca das 23:30 de sábado num hipermercado da Verderena, no Barreiro, integravam um grupo de sete assaltantes, cinco dos quais estão em fuga, informou fonte policial.

Segundo a comissária Maria do Céu, do Comando Distrital da PSP de Setúbal, a polícia foi alertada para a tentativa de assalto, mas foi recebida a tiro pelos assaltantes, que estavam encapuzados, com coletes à prova de bala e munidos de, pelo menos, uma metralhadora, uma shotgun e uma pistola.

De acordo com a responsável da PSP, o assaltante ferido, inicialmente transportado para o hospital do Barreiro, foi, entretanto, transferido para um hospital de Lisboa.

A responsável da PSP adiantou ainda que além do ferido grave e da vítima mortal, há também dois polícias feridos, que terão sido atropelados, um deles por duas vezes, por uma viatura dos assaltantes.

A PSP está, entretanto, a desenvolver diligências para capturar os cinco fugitivos.

Cerca das 23:30 de sábado, a PSP foi alertada para um assalto ao Continente e de imediato deslocou para cá um carro patrulha, que mal chegou ao local foi alvejado por assaltantes. O carro patrulha tem marcas de projétil, e os elementos da PSP, para se defenderem, usaram as armas de fogo e houve uma troca de tiros. Da troca de tiros resultou um morto e um ferido, que foi para o hospital, e presume-se que estejam cinco em fuga", disse o superintende Viola Silva.

 

Recuperámos uma pistola, um revolver, uma metralhadora e uma 'shotgun'. Neste momento estamos a tentar localizar os indivíduos. Foi uma situação muito grave, os assaltantes estavam fortemente armados e atacaram a PSP a tiro. É gente muito perigosa e é importante que os consigamos apanhar em breve", salientou.

Segundo o superintendente os assaltantes atuaram com gorros, luvas e coletes à prova de bala.

Junto ao hipermercado, na estrada, ficou um carrinho de compras com dinheiro que terá sido roubado, bem como uma das viaturas utilizadas pelos assaltantes, com marcas de tiros, junto à qual ficou o corpo do assaltante morto.

"Este local aqui junto ao Continente tem um descampado com matagal e é muito escuro. Vamos fazer outras buscas para ver se existem outras armas aqui", salientou.

Viola Silva referiu ainda que não sabiam se o individuo que faleceu, cujo corpo pelas 05:30 ainda permanecia no local, foi morto por disparos da polícia ou se foi ele próprio, que ao tentar fugir, efetuou um disparo por engano.

O assaltante ferido foi transportado para o hospital de Santa Maria, em Lisboa, com ferimentos graves.

A Polícia Judiciária esteve durante bastante tempo no local a recolher indícios.